domingo, 16 de abril de 2017

Tempo

O tempo passa
Com ele vem as transformações
Vão pessoas
Volta personalidades
Com o tempo se vai lembranças

Na música encontro a nostalgia
De um tempo que não volta mais
Quando irei me acostumar com isso?
Talvez daqui algum tempo,
Muito tempo.

Eu

Essas cicatrizes
Marcam minha alma

Atravessam meu corpo
Como se não existisse nada
Além de vazio e solidão
É como se existisse um buraco
É como se existisse escuridão
Esta que sufoca meu ser
Que afoga minha essência
Esconde quem eu sou
Faz me perder
Nesse labirinto
Que eu mesma criei
Parecendo não haver
Uma saída se quer
Talvez a saída seja exposta

De fora para dentro
E em seguida
De dentro para fora
Com lágrimas que inundam 

As passagens
Afogam o que ainda está vivo

domingo, 9 de abril de 2017

O outro

O coração se aperta
estou sendo inundada
que sentimentos ruins são esses?
Não há uma resposta
Não há uma saída
Só há um vazio
Que está sendo preenchido
Mas preenchido de sensações ruins
Há lágrimas
Tristezas
Chego a pensar que tudo isso é vão
Porém há nome
E o nome é empatia
O desejo de dar ao próximo
aquilo que não há para você
Talvez um dia o mundo seja justo
E essa inundação se acabe por fim
ou talvez antes do fim
Eu inunde
E me perca dentro dessas sensações.